Um estudo da Associação Brasileira pela Continência B. C. Stuart indica que o paciente com incontinência urinária gasta 40% da renda média mensal de R$ 1.116,84 com medicamentos e sondas uretrais.

A doença causa impacto direto na qualidade de vida, auto- imagem, trabalho, vida sexual, levando à depressão, vergonha, timidez e atinge mais as mulheres.

A Associação também vai lançar cartilhas sobre o tema para crianças e adultos, no Fórum Público- A realidade da incontinência urinária no Brasil. Gratuito e aberto à população. Inscrição pelo email:[email protected]

Na Sexta-feira (10/03), no Centro de Convenções Rebouças, das 12h30 às 14h, durante o 2º Congresso Internacional da Associação Latino-Americana de Assoalho Pélvico.

Tratamento da incontinência urinária consome 40% da renda média do brasileiro


 

#PerderUrinaNãoÉNormal

A aventura de Berta pelo sistema urinário

A Associação Brasileira pela Continência B. C. Stuart lança nesta sexta-feira (10), cartilhas para crianças e adultos sobre incontinência urinária. “A aventura de Berta pelo sistema urinário” explica que não é normal o xixi escapar.

Março é o mês de alerta para a incontinência urinária, a perda involuntária de urina, que atinge cerca de 10 milhões de brasileiros e traz um grande prejuízo na qualidade de vida do indivíduo. Durante todo o mês, a Associação Brasileira Pela Continência B. C. Stuart vai realizar ações nas ruas e pela internet, para informação e esclarecimentos sobre o tema. As atividades se intensificam na semana do dia 14 de março, Dia Mundial da Incontinência Urinária.

No 2º Congresso Internacional da Associação Latino-Americana de Assoalho Pélvico, a entidade promoverá o Fórum Público “A realidade da incontinência urinária no Brasil”, gratuito e aberto à população.

Estudo da Associação indica que o paciente com incontinência urinária gasta 40% da renda média mensal de R$ 1.116,84 com medicamentos e sondas uretrais. “ É uma condição que afeta grande número de pessoas, de todas as idades, de ambos os sexos e poucos procuram ou tem acesso aos tratamentos”, afirma o médico urologista Valter Honji, membro voluntário da Associação. A incontinência urinária causa impacto direto na qualidade de vida, auto- imagem, trabalho, vida sexual, levando à depressão, vergonha e timidez. A doença atinge mais as mulheres.

A Associação Brasileira pela Continência B. C. Stuart ainda lançará as cartilhas para crianças (A aventura de Berta pelo sistema urinário) e adultos (#PerderUrinaNãoÉNormal) sobre incontinência urinária. Segundo a secretária executiva da entidade, Ana Claudia C. Delmaschio, a ideia é disseminar informação sobre a doença de uma forma simples.

“Pretendemos deixar o material acessível ao público. Os médicos podem distribuir para os pacientes em ambulatórios públicos, é uma forma de alertar sobre os problemas, chamar a atenção da população, perder urina não é normal, é possível tratar e em alguns casos até curar”, destaca Ana Claudia.

Existem diferentes tipos de incontinência urinária. Um dos mais comuns é a incontinência urinária de esforço, que ocorre quando a pessoa perde urina ao rir, tossir, espirrar, exercitar-se, subir escadas, levantar peso ou exercer alguma outra forma de pressão sobre o assoalho pélvico. Em muitos casos, esse tipo de incontinência pode ser ocasionado por alguma lesão nos esfíncteres (músculos) da uretra. Obesidade, menopausa, gravidez e partos, prisão de ventre, entre outras, podem ser a causa da doença.

O tratamento irá depender do tipo e da gravidade, além das causas subjacentes, podendo muitas vezes haver a necessidade de uma combinação de abordagens interdisciplinares. O paciente pode fazer exercícios para fortalecer a musculatura pélvica, aprender técnicas e treinamentos para a bexiga, perder peso e fazer dieta alimentar. Outros tipos da doença devem ser tratados com medicamentos e até cirurgia.

 

Serviço: Fórum Público- A realidade da incontinência urinária no Brasil

Gratuito e aberto à população. Inscrição pelo email: [email protected]

Quando: Sexta-feira (10/03)

Onde: Centro de Convenções Rebouças

Horário: das 12h30 às 14h

2º Congresso Internacional da Associação Latino-Americana de Assoalho Pélvico

 

Associação Brasileira Pela Continência B. C. Stuart

A Associação Brasileira pela Continência B. C. Stuart é uma entidade sem fins lucrativos, cujo maior objetivo é de prestar assistência às pessoas que sofrem de incontinência urinária e/ou fecal.

A ideia de se criar esta associação aqui no Brasil nasceu do sonho de um empresário canadense, Sr. Raymond Laborie. Juntamente com um pequeno grupo de profissionais envolvidos na causa da incontinência, fora então criada a Associação Brasileira pela Continência usando o modelo de outras fundações já existentes no mundo, tais como a “Canadian Continence Foundation” e a norte-americana “Simon Foundation”.

Pensando nas dificuldades econômicas, sociais e emocionais que as disfunções miccionais causam às pessoas, que vislumbramos apoiar e orientar pessoas de todo o Brasil a encontrarem ajuda, oferecendo informações sobre os problemas específicos; sobre as possibilidades de tratamentos; encaminhamentos para profissionais que possam ajudar; orientações e indicações de acesso a medicações e produtos necessários ao manejo das disfunções miccionais.