coluna

Como uma lesão na medula espinhal na região da coluna cervical afeta o corpo

Além do sintoma mais aparente da tetraplegia, pessoas que sobrevivem à lesão na medula espinhal na região da coluna cervical também têm risco de outras complicações médicas como dor crônica, disfunções na bexiga e intestino, assim como elevação na probabilidade de problemas cardíacos e respiratórios. A recuperação com sucesso depende de como essas condições crônicas são lidadas no dia a dia.


Pneumonia e lesão na medula espinhal e coluna cervical
Respiração e lesão na medula espinhal na região da coluna cervical

Qualquer lesão na medula espinhal acima dos segmentos da coluna cervical C3, C4 e C5 pode interromper a respiração. Pessoas com essas lesões precisam de suporte respiratório imediato. Quando a lesão está no segmento C5 da coluna cervical e abaixo, a função do diafragma é preservada, porém a respiração tende a ser rápida e a pessoa tem problema para tossir e limpar secreções dos pulmões por causa da fraqueza dos músculos torácicos. Uma vez que a função pulmonar melhora, uma grande percentagem das pessoas com lesão no segmento C4 da coluna cervical podem se livrar da respiração mecânica nas semanas posteriores à lesão.


As complicações respiratórias, primariamente como resultado de pneumonia, são a principal causa de morte em pessoas com e lesão na coluna cervical e medula espinhal. A intubação eleva o risco de desenvolver pneumonia a cada dia.

Coágulos sanguíneos e lesão na medula espinhalBatimento cardíaco irregular e pressão baixa associados a lesão na medula espinhal e coluna cervical

Lesões na medula espinhal na região da coluna cervical são freqüentemente acompanhadas por instabilidade na pressão sanguínea e arritmias cardíacas. Arritmias geralmente aparecem nas primeiras 2 semanas depois da lesão na medula espinhal na região da coluna cervical e são mais comuns e severas nos traumas mais graves.


Pessoas com lesão na coluna espinhal possuem risco três vezes maior para coágulos sanguíneos. O risco de coágulos sanguíneos é menor nas primeiras 72 horas, mas depois disso medicamentos podem ser usados por precaução.

Espasmos e lesão na medula espinhal

Muitos dos movimentos reflexos são controlados pela medula espinhal, mas regulados pelo cérebro. Se a medula espinhal for lesionada, informação do cérebro não mais regulará a atividade reflexa. Os reflexos então podem ficar exagerados com o tempo. Se os reflexos ficarem severos o suficiente, podem requerer tratamento médico.

 

Disreflexia autonômica e lesão na medula espinhal na região da coluna cervical

A disreflexia autonômica é uma ação reflexa potencialmente fatal que afeta primariamente aqueles com lesões na coluna cervical. Ela acontece quando há irritação, dor ou estímulo ao sistema nervoso abaixo do nível da lesão. Ao contrário dos espasmos que afetam os músculos, disreflexia autonômica afeta os sistemas vasculares e dos órgãos controlados pelo sistema nervoso simpático.

Úlceras de pressão em pessoas com lesão na medula espinhal

Úlceras de pressão são áreas no tecido da pele que se rompem por causa da pressão contínua. Pessoas com paraplegia e tetraplegia são susceptíveis a úlceras de pressão porque não podem se mover facilmente sozinhas.

Dor em pessoas com lesão na medula espinhal e coluna cervical

Pessoas que estão paralisadas geralmente têm o que é chamado dor neurogênica, resultante de danos aos nervos na medula espinhal. O tratamento para dor crônica inclui medicamentos, estimulação elétrica do cérebro ou espinha, e cirurgia.

 

Problemas para urinar e intestinais em pessoas com lesão na medula espinhal

A maioria das lesões na medula espinhal afeta as funções da bexiga e intestino. Sem a coordenação do cérebro, os músculos da bexiga e uretra não trabalham em conjunto eficientemente, e a urinação fica anormal. O funcionamento do intestino é afetado de forma similar.

Função reprodutiva e sexual em pessoas com lesão na medula espinhal

Lesão na medula espinhal tem maior impacto na função sexual e reprodutiva em homens do que em mulheres. A maioria das mulheres com lesão na medula espinhal permanece fértil, e pode conceber e criar filhos. Mesmo aquelas com lesão grave podem reter a função orgásmica, embora algumas percam a capacidade de alcançar satisfação sexual. Dependendo do nível da lesão, homens podem ter problemas com ereção e ejaculação, e a maioria terá a fertilidade comprometida devido à diminuição na motilidade do esperma.

A vida depois de lesão na medula espinhal na região da coluna cervical

Depois de sobreviver à lesão na medula espinhal na região da coluna cervical e começar a se ajustar emocionalmente e psicologicamente com essa situação, a próxima preocupação é como viver com as incapacitações. Os médicos podem atualmente prever com precisão razoável as conseqüências a longo prazo de lesões na medula espinhal. Isso ajuda pacientes e família a estabelecer metas alcançáveis e ter expectativas realistas para o futuro.

http://www.copacabanarunners.net/