David é cozinheiro – e é cego. A solução para que ele possa trabalhar com segurança é ter um assistente, Peter, que é autista. Trabalhando em equipe, eles formam a dupla que prepara as refeições em um café na Escócia.
 
 
 
David Black é cozinheiro – e também é cego.
A solução para que ele possa trabalhar com segurança é ter um assistente, Peter Wilson, que é autista.
 
A dupla prepara as entradas e pratos principais para cerca de 10 a 15 pessoas, duas vezes por semana, em um café na Escócia.

Cabe a Peter guiar David pela cozinha, ajudando-o a mexer nas panelas e no fogão, para que ele não se machuque.

“Trabalhamos em equipe”, diz Peter.
“Aprendemos a confiar um no outro, não é mesmo?”, afirma David.
David conta que aprendeu a cozinhar com sua mãe, quando ainda enxergava.
“Quando minha visão piorou, as lições da minha mãe passaram a fazer sentido para mim.”
Ele diz se dar bem com seu colega de trabalho: “Gosto do Peter. Tenho orgulho do que ele alcançou”.
Questionados se abririam um café só deles, a dupla responde quase em uníssono: “Não!”.
“Seria impossível”, diz Peter.
“Poderíamos fazer isso, mas não duraria uma semana. Não, estamos bem onde estamos”, complementa David.
FONTE: G1 Globo/Mundo – 21/02/2017