nevermind

Pouco tempo atrás, falamos aqui sobre o Immersion, um headset criado para ajudar no controle das emoções dos jogadores. Demonstrando que a saúde mental dos aficionados por jogos é uma preocupação que recebe bastante atenção atualmente, Erin Reynolds, uma game designer dos Estados Unidos, criou Nevermind, um projeto bem interessante.

De acordo com a descrição em seu próprio site, Nevermind é um adventure de horror baseado em biofeedback, que transporta o jogador para o mundo do subconsciente. Repleto de labirintos e puzzles, o jogo possui um sensor que monitora quão assustado ou estressado ficamos durante as partidas. A partir daí, o game se molda de acordo com as respostas biométricas captadas pelo sensor.

O jogador assume o papel de Neuroprober, um médico que se aproveita de tecnologia de ponta para entrar dentro da mente de vítimas de traumas psicológicos, nas quais os métodos de tratamento tradicionais não surtiram efeito. A descrição do jogo explica: “Experiências traumáticas, especialmente aquelas deixadas sem tratamento, cobram seu preço de diversas maneiras, muitas vezes desencadeando outros problemas sérios, enquanto o subconsciente da vítima desesperadamente tenta lidar com isso.”

Conforme o nível de stress durante o jogo aumenta, mais desafiador ele se torna. Para conseguir passar pelas fases, então, o jogador se vê obrigado a acalmar seus ânimos, aprendendo a controlar os nervos gradualmente. A meta de Nevermind, segundo seus criadores, é prover uma experiência de gameplay inesquecível, que também ensine aos jogadores como ser mais conscientes de suas respostas internas para situações estressantes. “Se você pode aprender a controlar sua ansiedade dentro do mundo perturbador de Nevermind, apenas imagine o que você poderá fazer quando chegarem os inevitáveis momentos estressantes do mundo real…”

O projeto, que começou como a defesa de tese de Reynolds, foi inserido no Kickstarterem 5 de fevereiro e ainda tem mais 24 dias de campanha pela frente. Para que ele seja lançado, foi requerido o montante de US$ 250 mil.

O projeto já recebeu menções honrosas em prêmios como IndieCadeGames for Change, e Unity Unite Awards. De acordo com a diretora do Centro de Mídia Criativa & Saúde Comportamental da USC, Marientina Gotsis, as indicações não são exageradas: “Nevermind tem muito potencial para ajudar efetivamente através de técnicas para que elas próprias gerenciem seu stress e ansiedade. Eu tenho esperado por anos por algo como isso vir a público. Isso está em sintonia com o que sabemos sobre a neurociência emocional, no que diz respeito ao funcionamento do cérebro, e é uma experiência muito animadora combinar jogos e benefícios potenciais para a saúde”, diz.

Nevermind, por enquanto, será lançado para PC – há previsão de que em breve receba também uma versão para Mac e Xbox One, além de futuras interações com dispositivos de realidade virtual, como o Oculus Rift. Recentemente, o jogo foi pré-aprovado pela Valve para lançamento no Steam.

Por que é legal? Se você é, ou já conheceu alguém que sofre de transtornos de ansiedade, vai sacar na hora quanto é importante conseguir controlar sozinho suas próprias emoções. Se não, agora você tem uma ideia. 😉

Por que é inovador? Gerenciar seu stress por meio de um jogo é algo tão futurista quanto carros voando.

Por que é vanguarda? Até o Steam já se disponibilizou a publicá-lo. Se GabeN confia, nós confiamos.

Vale o investimento? Considerando que o lance mínimo no Kickstarter é de US$ 1, menos do que o preço do seu café expresso, concordamos que vale, sim. E caso queira quebrar o porquinho e doar quantias maiores, as recompensas vão de artes conceituais e camisetas, a seu nome nos créditos do jogo.

Source: Financie isso: Nevermind, um jogo capaz de ajudar no controle de distúrbios emocionais – Tecnoblog