Olá pessoal, conhecemos esse projeto fantástico da Nanda de 19 anos, cadeirante desde os 9, devido a miopatia congênita tetraparesia que é basicamente fraqueza muscular, distrofia,  ilustradora digital que criou o MULHERES EXTRAORDINÁRIAS, para dar voz a mulheres e representatividade no mundo da arte.
Conheça um pouco mais dessa história…

Como nasceu o Projeto Mulheres Extraordinárias.

Tenho 19 anos e sou cadeirante desde dos 9, tenho miopia congênita tetraparesia distrofia muscular, ainda sem diagnóstico fechado mas é basicamente fraqueza muscular vou perdendo aos poucos a força.
Quando fui para a cadeira acabei desenvolvendo uma escoliose que com o tempo foi comprimindo meu pulmão até eu ficar praticamente sem ar, em 2016 fiz uma cirurgia de correção da coluna que foi um alívio enorme mas tive complicações com meu quadril (a coluna ficou perfeita sem nenhuma complicação).
Como arrumou a coluna meio que meu quadril “saiu do lugar” e isso né causou muitas dores, fiquei 3 anos sentindo uma dor insuportável na base de tramal e morfina, em 2018 resolvemos fazer uma cirurgia no quadril que foi a retirada da cabeça do fêmur e essa foi uma das piores coisas que já fiz porque fiquei mil vezes pior com uma dor inexplicável fiquei internada quase um mês na base da morfina pra aguentar e mesmo assim a dor era muito intensa.
Passei mais um ano com dores e fazendo infiltrações pra tentar aliviar a dor, infelizmente até hoje sinto ela todos os dias 24h sem folga. No meu tempo no hospital tive aula de ilustração digital e simplesmente me apaixonei, eu já desenhava principalmente com aquarela mas a ilustração digital ganhou meu coração e era o que me fazia ter alguma felicidade em meu de tanto caos.
Infelizmente até hoje sinto ela todos os dias 24h sem folga. No meu tempo no hospital tive aula de ilustração digital e simplesmente me apaixonei, eu já desenhava principalmente com aquarela mas a ilustração digital ganhou meu coração e era o que me fazia ter alguma felicidade em meu de tanto caos.
O projeto nasceu em um dia de recaída da depressão e surto, eu simplesmente comecei a convidar mulheres que eu admirava muito pra um projeto que ainda não tinha nome e nem “conteúdo” e elas aceitaram e me ajudaram nessa loucura, parei várias vezes por causa da depressão que tomou conta de mim e não conseguia fazer nada, nem sair da cama eu só queria morrer, comecei o projeto em 2018 se não me engano e só consegui voltar a ele esse ano.
O Projeto Mulheres Extraordinárias é para contar a história, vivências e dar voz a mulheres com deficiência e trazer representatividade no mundo da arte e me orgulho muito dele. Queria agradecer as mulheres incríveis que veio nessa comigo, Maria Paula, Fernanda Oliveira, Letícia Karoline, Stephani Lesly, Suellen Gonçalves, Mércia Costa, Beatriz Buzato, Mariana Guedes e Vânia Martins OBRIGADA MANAAAAS

Espero que esse projeto alcance muitas pessoas pra que a gente consiga empoderar muitas pessoas e verem que a gente existe sim.
Siga o Instagram pra acompanhar @artnandx

 

Ver essa foto no Instagram

 

Sou a Mariana Guedes, jornalista e fotógrafa, tenho 27 anos e estou cadeirante porque sofri um acidente de carro no carnaval de 2015, voltando da Chapada dos Veadeiros. No acidente, fraturei cinco vértebras, tive um traumatismo craniano, perfurei os dois pulmões e, o que me deixou paraplégica, lesionei a medula. Há 5 anos recebi a oportunidade de enxergar a vida de uma nova perspectiva, sou a mesma Mariana antes e depois do meu acidente. Para a sociedade, eu sou cadeirante e depois uma mulher. Mas o que importa é o que eu carrego no peito. Uma felicidade infinda e muito amor. Que venham os próximos 5, 10, 30, 50 anos. Que eu estarei pronta para continuar sendo feliz. @maariguedes ♿💕 . . . #mulheresextraordinarias #arte #art #brasil #cadeirantes #instagood #desenho #sp #design #drawing #amor #saopaulo #artist #instaart #artwork #pintura #instagram #draw #painting #wheelchair #acessibilidade #ilustraçãodigital #ilustração #pcd #like4likes #followme #likesforlike

Uma publicação compartilhada por Nandx (@artnandx) em